Você está aqui

Notícias

O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) convida para a webconferência sobre “Banimento do amianto no Brasil: história, avanços e retrocessos”, que ocorrerá no dia 05 de junho de 2019, das 14 às 16 horas (horário de Brasília-DF).

Esta atividade terá como convidados Fernanda Giannasi, da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (Abrea) e Auditora Fiscal do Trabalho (aposentada) do Ministério do Trabalho, e Hermano Castro, Médico Pneumologista e Diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca – ENSP/Fiocruz.  

No mês de maio, a revista Cadernos de Saúde Pública (vol. 35, supl. 1, maio/2019) apresenta um panorama da saúde de professoras e professores da Educação Básica no Brasil. O editorial da publicação temática aborda as dimensões educação, trabalho e saúde, e os autores debatem conceitos e métodos de investigação da área de saúde dos trabalhadores para examinar as conexões entre o plano macro do setor educacional e o plano singular do processo saúde doença.

Conforme nossa Constituição, a saúde pública tornou-se efetivamente um direito coletivo e de caráter público em 1988. Visto que a teoria não se aplica à prática, a aluna do programa de mestrado em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Cíntia Telles, propôs um estudo com o tema Saúde do trabalhador na Constituição Brasileira.

Em 2019, o mote da campanha para o dia 12 de junho é “Criança não deve trabalhar, infância é para sonhar”.

O objetivo é sensibilizar e motivar uma reflexão da sociedade sobre as consequências do trabalho infantil e a importância de garantir às crianças e aos adolescentes o direito de brincar, estudar e sonhar, vivências que são próprias da infância e que contribuem decisivamente para o seu desenvolvimento.

No dia 29 de abril de 2019, às 14h, o Cerest Salvador realizará a "Roda de Conversa - Investigação de Óbito por Causa Externa Relacionada ao Trabalho".

O evento pretende ser um momento interativo entre os profissionais de saúde dos 12 Distritos Sanitários de Salvador responsáveis pelas investigações de óbitos epidemiológicos.

A roda de conversa tem por objetivo discutir o processo de investigação, escutar dificuldades e dúvidas, compreender demandas e unificar orientações.

Em atenção ao Dia Nacional em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, instituído no Brasil por meio da Lei 11.121/2005, celebrado no dia 28 de abril de cada ano, a Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (CGST/DSAST/SVS/MS) promoverá o Seminário de Vigilância em Saúde do Trabalhador e Acidentes de Traba

A Plataforma Renast online é uma ferramenta de comunicação e dados de abrangência nacional que auxiliam a integração em rede e a disseminação de informação e conhecimento na Rede Nacional de Saúde Integral à Saúde do Trabalhador, a principal estratégia do Ministério da Saúde para a inserção das ações de saúde do trabalhador em todos os âmbitos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Organização do Curso: Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh)

Coordenação do Curso: Hilka Guida, José Augusto Pina, Leandro Vargas B. de Carvalho e Liliane Reis Teixeira

Corpo docente: Pesquisadores do Cesteh e professores convidados

Carga Horária: Total = 150 horas (em 5 módulos de 30 horas cada módulo)

Período: Abril a dezembro de 2019

Frequência das aulas: 2 vezes ao mês, em dias consecutivos (a definição de melhor dia e horário para realização das aulas será feita junto dos candidatos selecionados)

Consequências a curto, médio e longo prazos do desastre da companhia Vale, em Brumadinho, são o principal foco da entrevista coletiva concedida pelo pesquisador Christovam Barcellos no dia 5 de fevereiro, durante evento sobre o tema organizado pela Ensp, Icict e Presidência da Fiocruz com o apoio do IOC e realizado no Campus Manguinhos.

Por Ricardo Valverde

A Fiocruz divulgou, na terça-feira (5/2), um estudo que alerta para os impactos, causados à população, do desastre da mineradora Vale do Rio Doce em Brumadinho (MG). O estudo foi divulgado em um debate que contou com a presença dos pesquisadores responsáveis pelo trabalho. Entre os riscos estão a possibilidade de surtos de enfermidades, mudanças no bioma e agravamento de problemas crônicos de saúde, como hipertensão, diabetes e doenças mentais.

Subscrever