Você está aqui

Controle social

A Prefeitura de Ubá, através da Secretaria Municipal da Saúde, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador - CEREST/Ubá e Conselho Municipal de Saúde, convida para o 1º Fórum do Trabalhador e da Trabalhadora da Região de Saúde de Ubá e Muriaé, a realizar-se dia 30 de abril, de 08h às 12:30h na Câmara Municipal de Ubá.

Tags: 

A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) participou na última quarta (29/10) do seminário Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, promovido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em Goiânia (GO).

Apresentação

Segundo o provérbio popular, “o que os olhos não veem, o coração não sente”.

A sabedoria contida nesse provérbio mostra-se muito apropriada ao mundodo trabalho, e ainda mais ao trabalho rural. Os olhos da sociedade não costumam ver osproblemas experimentados todos os dias por muitos de seus trabalhadores. O sofrimento no trabalho é, com frequência, suportado pelas vítimas de forma quase invisível.

O Ministério da Previdência divulgou em outubro os dados mais recentes sobre saúde e segurança no trabalho. O número de acidentes em 2012 caiu um pouco, mas superou a casa dos 700 mil pelo quinto ano seguido – eram 400 mil dez anos atrás. As mortes no trabalho somaram 2.700. Esses são os números oficiais, que indicam apenas os registros feitos pelas empresas, e certamente ficam abaixo dos reais, uma vez que parte das ocorrências não é notificada. O cenário mostra que as mudanças ainda tardam a chegar no campo da saúde e da segurança, embora sejam identificados progressos em alguns setores, com acordos tripartites visando à prevenção. Mas o “novo” mercado de trabalho intensificou o aparecimento de doenças, ligadas principalmente ao estresse e à aceleração do processo produtivo

Este artigo apresenta uma revisão bibliográfica sobre a influência das ciências sociais para a superação de concepções reducionistas de relação trabalho-saúde, nas duas últimas décadas. Trata-se de um tipo de diagnóstico da produção científica, no qual destacam-se: as contribuições para a caracterização da saúde do trabalhador, como campo de conhecimento e de intervenção, e para a análise da política e das práticas das instituições públicas; as abordagens compreensivas e as questões de gênero. Efetuou-se um levantamento de artigos de periódicos indexados e de dissertações e teses de pós-graduação. Foram consultados: o banco de dissertações e teses da Coordenação de Aperfeiçoamento do Ensino Superior e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia; a Biblioteca Virtual em Saúde da Biblioteca Regional de Medicina e o site do Scientific Electronic Library On-line. Constatou-se a predominância de estudos sobre temáticas específicas e determinadas categorias de trabalhadores, em contraposição a tentativas de abordagens totalizadoras. Apesar dos notáveis avanços em termos de conhecimento, existe carência significativa de investigações sobre segmentos da população trabalhadora que apresentam maior vulnerabilidade social.

A atual edição do boletim do Fórum Intersindical Saúde - Trabalho - Direito questiona "O que foi feito de vera na Saúde do Trabalhador?", uma vez que trabalhadores continuam morrendo e adoencendo durante o exercício da profissão. A publicação traz a entrevista da pesquisadora Lia Giraldo acerca da sua trajetória na saúde do trabalhador, além do artigo do professor do CEFET/RJ e doutor em saúde pública Haroldo Pereira Gomes sobre as mortes na construção civil. Leia também as seções Perfil Sindical, Trabalhadores Anônimos e Informes.

O Movimento Sindical recorda o dia 28 de abril de 1969 quando ocorreu uma explosão na mina de Farmington, nos Estados Unidos, onde morreram 78 mineiros. A partir daí, este dia passou a ser lembrado como o dia em memória das vítimas das más condições de trabalh.

Em 2003 a OIT (Organização Internacional do Trabalho) adotou esse dia como o Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho, concentrando-se na promoção de uma cultura de segurança e saúde dos locais de trabalho.

Os Representantes de Trabalhadores na Comissão Tripartite de Segurança e Saúde do Trabalhador encaminharam neste 13 de abril, carta de posicionamento sobre o sistema COPES - Cobertura Previdenciária Estimada, implantada em agosto de 2005 e colocada em nova consulta pública.

 

Palestrantes: Maria da Penha Oliveira, Marcos Vicícis do Santos e Iris da Conceição - Membros do controle social de Queimados/RJ

Moderadores: Profa. Dra. Fátima Sueli Neto Ribeiro - Professora da UERJ, Coordenadora do CEPEC/RJ

Data: 20 de maio de 2014

Horário: 14:00 às 16:00

Acesso em: www.telessaude.uerj.br/site

A 4ª Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (4ª CESTT) irá acontecer nos dias 08, 09 e 10 de maio de 2014. O regimento e o regulamento foram publicados na página da Secretaria Estadual de Saúde.

As stapas Macrorregionais deverão ser realizadas de 10 de março até 24 de abril de 2014:

Tags: