Você está aqui

Fundacentro

Apresentação

Segundo o provérbio popular, “o que os olhos não veem, o coração não sente”.

A sabedoria contida nesse provérbio mostra-se muito apropriada ao mundodo trabalho, e ainda mais ao trabalho rural. Os olhos da sociedade não costumam ver osproblemas experimentados todos os dias por muitos de seus trabalhadores. O sofrimento no trabalho é, com frequência, suportado pelas vítimas de forma quase invisível.

No dia 16 de outubro de 2014, acontecerá o 9º Seminário de Saúde Mental e Trabalho da Grande ABC. Neste ano o tema é: “Saúde Mental e Trabalho: o desafio da construção de olhares e práticas multidisciplinares”. O evento será realizado no Teatro Municipal de Mauá, situado à Rua Gabriel Marques, 353 - V. Noemia-Mauá.

Os eventos ocorrem anualmente e são organizados pelos CERESTs de Diadema, Mauá, Santo André e São Bernardo do Campo e conta com o apoio da RENAST, CRP 06 - SubSede ABC, Fundacentro-SP, e Universidade Metodista.

O pesquisador Celso Salim, da Fundacentro – entidade de pesquisa ligada ao Ministério do Trabalho e Emprego –, afirmou há pouco que a mineração é o quarto setor da economia com mais acidentes de trabalho no País e o segundo em taxa de mortalidade por acidente de trabalho. Ele participa de audiência pública conjunta das comissões de Legislação Participativa; e de Direitos Humanos e Minoria sobre as condições de saúde e segurança da mineração brasileira.

A Fundacentro e a Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, em parceria com o GT Saúde do Trabalhador da Abrasco e com apoio da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, convidam para o lançamento do dossiê temático ‘Atenção integral em Saúde do Trabalhador: desafios e perspectivas de uma política pública’.

O evento será realizado no auditório da Fundacentro, em São Paulo, no dia 22 de maio de 2014.

Milhões de trabalhadores no Brasil trabalham pressionados para atingirem metas estipuladas pelas empresas e para atingi-las correm, deixam de comer, deixam de passear, deixam de ficar com suas famílias e levam trabalho para casa. Acidentam-se e adoecem de todos os jeitos. Morrem muitas vezes depois de anos, sem que a doença que os leva à morte seja identificada como decorrente do trabalho.

Líderes sindicais estiveram na sede da entidade em São Paulo. Sindicalista diz que com a ausência da entidade na região, trabalhador perdeu a sua referência técnica.

Representantes de mais de 20 sindicatos dos trabalhadores do segmento portuário, químico, indústria, aquaviário e movimentos sociais da Baixada Santista, apresentaram à presidência da entidade na última quarta-feira, documento elaborado e assinado, o qual solicita a retomada das atividades da instituição na região de Santos.

Tutorial disponibilizado pela FUNDACENTRO para acesso a dados de acidentes de trabalho no Anuário Estatístico da Previdência Social.

Organizado pela Fundacentro e com a participação de instituições de saúde do trabalhador de todo o País, a “Proposta de Diretrizes para uma Política de Reabilitação Profissional”, elaborada em agosto de 2013 está disponível para consulta no site institucional

Com a participação das pesquisadoras da entidade, Maria Maeno, Cristiane Queiroz Barbeiro Lima, Daniela Sanches Tavares e Laura Soares Martins Nogueira, o documento é resultado do acúmulo de conhecimento e experiências de profissionais de várias instituições e parte de um projeto desenvolvido pela Fundacentro desde 2007.

Local: Auditório da Fundacentro-SP
Rua Capote Valente, 710, Capital-SP
Data: 06 e 07 de agosto de 2013

12 de junho é Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil. Segundo dados da ONU estima-se que 115 milhões de crianças ao redor do mundo estejam envolvidas com trabalhos perigosos, com riscos à saúde e segurança. O trabalho infantil tem causas complexas: Econômicas/Sociais/Políticas e Culturais.

Para marcar esta data 35º Encontro Presencial do Fórum de Acidentes de Trabalho que abordará o tema dos acidentes com menores de 18 anos de idade. Veja a programação: