Você está aqui

acidente de trabalho

Em seu comentário da semana, Luiz Gonzaga Belluzzo aborda a falta de cobertura correta da mídia brasileira ao desabamento do prédio que abrigava várias unidades manufatureiras em Bangladesh. Para o economista, o incidente, que matou mais de mil pessoas, tem mais significados. O aumento da mão de obra intensiva, do risco que os trabalhadores correm em decorrência às condições precárias do ambiente em que operam, e salários cada vez mais baixos são frutos da unificação dos mercados de trabalho.

O Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador na Paraíba (Cerest-PB), no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), dando continuidade às atividades alusivas ao Dia Mundial de Saúde e Segurança no Trabalho e em memórias as vítimas de acidente de trabalho, realizará no dia 26 de abril um ato público no Ponto de Cem Réis, das 8h as 14h, onde será ofertada uma ciranda de serviços com tendas de oficinas, filmes, palestras e serviços de saúde voltados para o trabalhador.

Pesquisa descritiva com abordagem quantitativa, que teve como objetivo investigar a ocorrência de acidentes de trabalho (AT) com exposição a material biológico entre trabalhadores da saúde do município de Ribeirão Preto, São Paulo, registrados no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) em 2005. Foram registrados através da Comunicação de Acidente de Trabalho 1665 AT (91,7%) e 151 (8,3%) foram diagnosticadas como doenças ocupacionais. Dos 1665 AT registrados, 480 (28,82%) AT vitimizaram trabalhadores das unidades de assistência de saúde e em 53 (31,87%) ocorreu exposição a material biológico. O diagnóstico da situação acidentária ocupacional é relevante para a elaboração de estratégias preventivas pelos serviços de atenção...

Participe do 31º Encontro que terá como tema a saúde e segurança no trabalho da Saúde.

O CEREST Alto Tietê convida as Vigilâncias Sanitárias e Epidemiológicas da região a participar do Fórum Regional em Memória às Vítimas de Acidentes do Trabalho a realizar-se no dia 29/06/2012 às 8 horas no Município de Guarulhos.

O local do evento será o auditório da sede da Secretaria da Saúde do Município de Guarulhos sito à Rua Iris, 300 Gopoúva - Guarulhos. Maiores informações sobre o local poderão se obtidas nos telefones do CEREST (2472-5495).

Neste Fórum o tema será: INVESTIGAÇÃO DOS ACIDENTES DE TRABALHO PELO MÉTODO DE ÁRVORE DE CAUSAS (SEGUNDA ETAPA)

Desde 2003 a OIT (Organização Internacional do Trabalho) adota o dia 28 de abril como o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, em todo o mundo, cerca de 270 milhões de trabalhadores são vitimados em decorrência de acidentes de trabalho todos os anos.

Em nosso país, somente entre trabalhadores formais, com vínculo celestista, que correspondem a 30% da População Economicamente Ativa, foram contabilizados 653.090 acidentes de no ano de 2007.

No dia 28 de abril, trabalhdores e trabalhdaoras de todo o mundo celebram o "Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho".

A data foi insituída por iniciativas de sindicatos canadences e escolhida em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969. No Brasil, em maio de 2005, foi promulgada a Lei No. 11.121, criando o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

"Há uma tragédia em curso no Brasil, da qual pouco se fala e que nada tem a ver com guerras ou desastres naturais. Ainda assim se trata de uma tragédia, pela quantidade de vítimas e a gravidade das sequelas. Foram 5 milhões de vítimas num intervalo de apenas sete anos, com 19,5 mil mortos e 101 mil inválidos. Esses brasileiros não estavam em conflitos e tampouco pegavam em armas quando morreram ou ficaram mutilados. Eles estavam trabalhando."

Nos últimos anos o governo brasileiro no embalo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) fez investimentos significativos em grandes canteiros de obras, como a expansão de portos, aeroportos e sistemas rodoviários favorecendo a mobilidade urbana. Além disso, no ano passado, o Brasil foi sede da Copa do Mundo e no próximo ano sediará os Jogos Olímpicos, exigindo infra-estrutura física adicional para esses eventos. Essas atividades trouxeram em seu bojo não apenas aumento na ocorrência e registros de acidentes como também importantes impactos ambientais e na vida de populações residentes nas áreas afetadas. Desastres e acidentes na construção civil têm sido alvo de estudos apoiados em novas metodologias e construídos com apoio em estratégias multi-institucionais e multiprofissionais pouco conhecidas e utilizadas em nosso país. Exemplos de abordagens desse tipo foram aplicadas quando da construção do Parque Olímpico de Londres e também no estado de São Paulo.

TEMA: Precarização, Terceirização do Trabalho e Mortes no Setor Elétrico Brasileiro. Estudo do DIEESE realizado a partir da base de dados da Fundação Comitê de Gestão Empresarial - Fundação COGE, entidade que reúne 64 empresas responsáveis por quase 90% da energia produzida no país mostra que mais de 50% da força de trabalho do setor elétrico é terceirizada. Mostra também que na região Nordeste o percentual de terceirização está acima da média nacional, e conclui pela existência de maior risco de morte associada ao segmento terceirizado da força de trabalho.