Você está aqui

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz

O Centro de Estudo em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Cesteh/Ensp/Fiocruz/MS) convida para a III Oficina de Formação e Qualificação em Saúde do Trabalhador – diálogo com os atores da prática - com o objetivo de discutir as necessidades de formação e qualificação em Saúde do Trabalhador, apontar as fragilidades e potencialidades do modelo pedagógico adotado atualmente e propor uma reflexão sobre a formação de atores-chaves para os serviços e programas de saúde do trabalhador no país.

A Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora tem como finalidade definir os princípios, diretrizes e estratégias a serem observados pelas três esferas de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), para o desenvolvimento da atenção integral à saúde do trabalhador, com ênfase na vigilância, visando à promoção e à proteção da saúde dos trabalhadores, além da redução da morbimortalidade decorrente dos modelos de desenvolvimento e processos produtivos.

Tags: 

As inscrições para o Curso de Especialização em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana 2016, modalidade presencial, do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (CESTEH/ENSP/FIOCRUZ) já abertas Para maiores informações acesse: http://goo.gl/C3uMsR

Tags: 

O Centro de Estudos da Saú de do Trabalhador e Ecologia Humana (CESTEH), ao longo da última década, vem oferecendo o Curso de Especialização em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana na modalidade a distância (CEST-AD).

Tag: 

Dezembro é um mês bem especial para o Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh), uma das unidades da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). Há 30 anos, em dezembro de 1985, foi criado este centro, que funde sua história com a construção do campo da saúde do trabalhador no Brasil.

Ocorreram 4,9 milhões de acidentes de trabalho no Brasil no ano de 2013. A projeção é da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com o IBGE. Para discutir o que esse e outros números revelam sobre as condições de trabalho em nosso país, o Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, da ENSP, recebeu, na quarta-feira, 4 de novembro, Célia Landmann Szwarcwald, pesquisadora do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz) e Heleno Rodrigues Corrêa Filho, da Universidade de Brasila (UNB).

No ano em que celebra os 30 anos de sua fundação, o Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), vem realizando uma série de encontros para debater temas pertinentes as suas áreas de atuação. A terceira Roda de Conversa abordou as Interseções do Ambiente na Saúde e no Trabalho. Coordenada pelo pesquisador da ENSP Aldo Pacheco, a roda contou com as falas de Ary Miranda, Liliane Reis e Fátima Moreira, também pesquisadores da Escola, além da participação de diversas das pessoas presentes ao debate.

O próximo Centro de Estudos Miguel Mural de Vasconcellos da ENSP, marcado para 4 de novembro, às 14 horas, debaterá os acidentes de trabalho no Brasil segundo a Pesquisa Nacional de Saúde. Dados do Ministério da Previdência Social apontam o elevado número de acidentes de trabalho no Brasil, com cerca de 165 mil acidentados em 2012. Para debater o tema, a atividade contará com a participação da pesquisadora do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz) Célia Landmann Szwarcwald e do pesquisador da Universidade Federal de Brasília (UnB) Heleno Rodrigues Corrêa Filho.

Uma doença de sintomas silenciosos, mas que pode ser fatal. O benzenismo - intoxicação por benzeno - foi um dos principais assuntos discutidos no Seminário Campanha Estadual de Segurança e Saúde - Projeto Postos de Combustíveis que encerrou a semana de atividades sobre a saúde dos frentistas, ocorrida no final do mês de setembro, no Rio de Janeiro. Organizado pelo sindicato da categoria, o evento contou com a participação de dois pesquisadores da ENSP: Antônio Sérgio de Almeida e Rita Mattos, ambos do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh).

A morte que ocorre no trabalho não pode ser encarada com naturalidade: é preciso buscar os responsáveis e também estratégias para que outros trabalhadores não sejam vitimados pelos mesmos motivos. Partindo desse entendimento e com o intuito de propiciar um debate amplo sobre o assunto, o TRT/RJ promoveu, através da sua Escola Judicial (EJ1), na manhã desta sexta-feira (31/7), uma audiência pública com o tema A morte no trabalho - inventário da realidade brasileira, no Prédio-Sede.