violência no trabalho

Psiquiatra francesa defende que juízes trabalhem com psicólogos e médicos em processos de assédio moral

João Pessoa – Especialista em assédio moral e psicológico, a médica psiquiatra francesa Marie-France Hirigoyen alertou hoje (2) os juízes sobre a importância de trabalhar com psicólogos e médicos ao analisar processos sobre assédio moral. No 16º Congresso Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Conamat), evento que ocorre até sexta-feira (4), Marie-France defendeu que os juízes desenvolvam sua sensibilidade para identificar o assédio moral e qual é o limite entre o aceitável e o não aceitável nas relações de trabalho.

Pesquisa aborda violência no trabalho em unidades básicas de saúde

Pesquisa desenvolvida a partir de protocolo de pesquisa proposto pelo Joint Programme on Workplace Violence in the Health Sector, realizado por um grupo de pesquisadores centro regional da Fiocruz em Minas Gerais e a Puc-Minas Campus São Gabriel.

O projeto teve financiamento do CNPq, sendo desenvolvido no período de 2004 a 2006. Participaram do do estudo trabalhadores de unidades básicas de saúde de um distrito sanitário de belo horizonte.

 

O cotidiano dos vigilantes: trabalho, saúde e adoecimento

Esta publicação apresenta os resultados da pesquisa intitulada Análise Ergonômica e Psicossocial das Condições de Saúde e Trabalho dos Vigilantes Patrimoniais e do Transporte de Valores, realizada a partir da abordagem de profissionais dessa categoria, atuantes na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Trata-se de um estudo inédito na área da vigilância, o primeiro realizado no Brasil, mediante a conjugação de investigações qualitativas e quantitativas das condições de trabalho e saúde dos seus trabalhadores.

Más condições de trabalho afetam saúde dos policiais

A greve de policiais civis e militares e de bombeiros na Bahia - e uma tentiva frustrada no Rio de Janeiro - parece ser fruto de um processo histórico que vem desgastando a credibilidade desses profissionais junto à população - por meio da formação de uma imagem de ineficácia da sua atuação e de uma atuação corrupta - e também pelo desgaste da crença desses profissionais na possibilidade de obter condições dignas de trabalho, com melhores salários, equipamentos adequados, melhor formação e atenção aos seus problemas de saúde.

Portaria Nº 104, de 25 de janeiro de 2011

Define as terminologias adotadas em legislação nacional, conforme o disposto no Regulamento Sanitário Internacional 2005 (RSI 2005), a relação de doenças, agravos e eventos em saúde pública de notificação compulsória em todo o território nacional e estabelece fluxo, critérios, responsabilidades e atribuições aos profissionais e serviços de saúde.

Páginas

Subscribe to RSS - violência no trabalho