Benzeno

CARACTERIZAÇÃO

C6H6 – Benzeno é um líquido volátil, inflamável, transparente, incolor e altamente tóxico, com odor aromático característico.

Tem como propriedade ser um solvente orgânico que forma a base dos hidrocarbonetos aromáticos, pois estes possuem obrigatoriamente um anel ou núcleo de benzeno.

As principais fontes dos hidrocarbonetos aromáticos são a destilação do carvão mineral em coquerias e diversas operações petroquímicas, em particular a reforma catalítica, a destilação do petróleo cru e a alquilação de hidrocarbonetos aromáticos menores, sendo estes processos importantes fontes de exposição ao benzeno. As principais fontes de produção do benzeno no Brasil, atualmente, encontram-se concentradas nos centros de produção petroquímica e refino de petróleo, nos parques de Camaçari/BA, Triunfo/RS, Capuava/SP e Cubatão/SP, que são responsáveis por aproximadamente 95% da produção nacional. O restante da produção nacional, cerca de 5%, provém da destilação fracionada de óleos leves de alcatrão e BTX (benzeno, tolueno, xileno), obtido a partir da destilação seca do carvão mineral nas Siderúrgicas.

USOS E EXPOSIÇÃO

Do total do benzeno produzido no Brasil, 83%, em média, destinam-se ao consumo nacional, 15% à exportação, e o restante permanece em estoque.

Pode-se dividir a exposição ao benzeno em:

  • contaminante potencial em concentrações muito baixas (por volta de 1 ppm ou menos): nas refinarias de petróleo que não possuem unidades de reforma aromática, o benzeno pode estar presente como contaminante atmosférico nas principais fontes emissoras de hidrocarbonetos aromáticos; unidades de craqueamento catalítico, extração de aromáticos a fenol, tancagem de petróleo e derivados, vasos de processos, compressores, regeneração do catalisador, sistema de vácuo e sistema blow down. Os campos de perfuração e os terminais também são fontes emissoras de hidrocarbonetosaromáticos, mas dependem do teor de benzeno do petróleo cru, que em geral é muito baixo (<1%).
  • produto puro ou em mistura com alto de teor de benzeno, aos quais potencialmente podemocorrer exposições elevadas (>1 ppm): nas unidades de reforma aromática nas refinariasque as possuem, na cadeia produtiva da indústria petroquímica, iniciando nas produtorasdo benzeno a partir da nafta petroquímica, e nos utilizadores dos benzeno como matériaprimapara síntese de produtos petroquímicos básicos (etilbenzeno, cumeno, caprolactama,alquilbenzeno linear e anidrido maléico, etc.). A maior parte da produção de benzeno (95%)está nestas atividades.Há ainda as usinas siderúrgicas que produzem coque e há potencialmente exposição debenzeno em coquerias, usinas de benzol e gás de coqueria (dependendo do tratamento do mesmo).
  • presença de benzeno excepcional: a Portaria Interministerial/MS/MTb n.º 3/1982 limitou asua presença em no máximo 1% em volume em misturas de solventes, mas até meados dos anos 80 o benzeno ainda podia ser encontrado como componente de misturas de solventes, como thinner, tintas, colas, etc. Nos anos 90, contudo, não se tem verificado a presença deste composto  em solventes a não ser como traços, eventualmente. A colocação de benzeno em solventes é criminosa.
  • outras utilizações: o benzeno ainda pode ser utilizado como solvente em laboratórios de química (em ensino ou indústria), na produção de álcool anidro (é previsto para breve o fim desta permissão) e ainda pode ser encontrado na gasolina, em geral em baixas percentagens, exceto em gasolinas de alta octanagem. (Ministério da Saúde do Brasil, Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde, 2001, p.509)

Doenças Causalmente Relacionadas ao Benzeno:

(Ministério da Saúde do Brasil, Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde, 2001, p.536)

  • Leucemias (C91- e C95.-)
  • Síndromes Mielodisplásicas (D46.-)
  • Anemia Aplástica devida a outros agentes externos (D61.2)
  • Hipoplasia Medular (D61.9)
  • Púrpura e outras manifestações hemorrágicas (D69.-)
  • Agranulocitose (Neutropenia tóxica) (D70)
  • Outros transtornos especificados dos glóbulos brancos: Leucocitose, Reação Leucemóide (D72.8)
  • Outros transtornos mentais decorrentes de lesão e disfunção cerebrais e de doença física (F06.-) (Tolueno e outros solventes aromáticos neurotóxicos)
  • Transtornos de personalidade e de comportamento decorrentes de doença, lesão e de disfunção de personalidade (F07.-) (Tolueno e outros solventes aromáticos neurotóxicos)
  • Transtorno Mental Orgânico ou Sintomático não-especificado (F09.-) (Tolueno e outros solventes aromáticos neurotóxicos)
  • Episódios depressivos (F32.-) (Tolueno e outros solventes aromáticos neurotóxicos)
  • Neurastenia (Inclui Síndrome de Fadiga) (F48.0) (Tolueno e outros solventes aromáticos neurotóxicos)
  • Encefalopatia Tóxica Crônica (G92.2)
  • Hipoacusia Ototóxica (H91.0) (Tolueno e Xileno)
  • Dermatite de Contato por Irritantes (L24.-)
  • Efeitos Tóxicos Agudos (T52.1 e T52.2)

Danilo Fernantes fala sobre a questão do benzeno no no 21o encontro presencial do Fórum Acidentes de Trabalho.

Veja também:

Referências:

MACHADO, Jorge Mesquita Huet et al . Alternativas e processos de vigilância em saúde do trabalhador relacionados à exposição ao benzeno no Brasil. Ciênc. saúde coletiva,  São Paulo,  v. 8,  n. 4,   2003 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232003000400014&lng=en&nrm=iso>. access on  21  Mar.  2012.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232003000400014.

Ministério da Saúde do Brasil. Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde / Ministério da Saúde do Brasil, Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil; organizado por Elizabeth Costa Dias ; colaboradores Idelberto Muniz Almeida et al. – Brasília:  <inistério da Saúde do Brasil, 2001. ISBN 85-334-0353-4