Você está aqui

Extração de petróleo e gás natural (06)

Código: 
06
Nível: 
Divisão

Informações no sistema

Período: 2.007 a 2.017
Número total de vínculos (RAIS): 364.070
Número total de vínculos com afastamento (RAIS): 64.439
Número total de vínculos com afastamento por doença (RAIS): 53.040
Número total de vínculos com afastamento relacionado ao trabalho (RAIS): 1.136

A pesquisadora titular aposentada da Fiocruz, Lia Giraldo, apresentou aula aberta do Programa de Formação Saúde, Trabalho e Ambiente na Indústria do Petróleo, oferecido pelo Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz). Pioneira nos estudos sobre benzeno, ela fez um histórico sobre a relação da substância com a saúde dos trabalhadores e as conquistas alcançadas em relação à exposição.

O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) recebeu a pesquisadora titular aposentada da Fiocruz, Lia Giraldo, em aula aberta do Programa de Formação Saúde, Trabalho e Ambiente na Indústria do Petróleo. Pioneira nos estudos sobre benzeno, ela fez um histórico sobre a relação da substância com a saúde dos trabalhadores e as conquistas alcançadas em relação à exposição.

Organização do Curso: Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh)

Coordenação do Curso: Hilka Guida, José Augusto Pina, Leandro Vargas B. de Carvalho e Liliane Reis Teixeira

Corpo docente: Pesquisadores do Cesteh e professores convidados

Carga Horária: Total = 150 horas (em 5 módulos de 30 horas cada módulo)

Período: Abril a dezembro de 2019

Frequência das aulas: 2 vezes ao mês, em dias consecutivos (a definição de melhor dia e horário para realização das aulas será feita junto dos candidatos selecionados)

O benzeno é reconhecido como cancerígeno pela OMS, especialmente para tumores do sistema hematopoiético sendo amplamente utilizado em diversos processos produtivos, como na exploração de petróleo e na indústria petroquímica, e é subproduto de várias indústrias químicas dentre outras. Porém, a escassez de informações sobre exposições em ambientes de trabalho tem levado ao uso crescente de matrizes de exposição ocupacional (MEO), instrumentos que permitem calcular ou projetar estimativas, como o número de expostos e a prevalência de exposições, com base em dados parciais e em outros contextos. Assim, este artigo apresenta o resultado de um estudo utilizando esta matriz para calcular a exposição ocupacional a este composto, no Brasil, no ano de 2010.

Tag: