Agência da OMS divulga publicação sobre a relação entre organofosforados e câncer

A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC, sigla em em inglês), é em agência especializada da Organização Mundial da Saúde com o objetivo de promover a colaboração internacional em epidemiologia, laboratórios, bioestatística na identificação de causas e proposição de medidas preventivas para a doença.

As Monografias IARC são publicações que analisam e identificam fatores ambientais que podem aumentar o risco de câncer humano. Estes incluem produtos químicos, misturas complexas, exposições ocupacionais, agentes físicos, agentes biológicos, e os fatores de estilo de vida . Tais informações são propostas como apoio científico por suas ações para evitar a exposição a potenciais agentes cancerígenos. Grupos de trabalho interdisciplinares de cientistas especializados preparam revisões de estudos publicados, avaliando o peso da evidência de que um agente pode aumentar o risco de câncer. Os princípios, procedimentos e critérios científicos que norteiam as avaliações são descritos no preâmbulo das monografias do IARC .

Recentemente, a IARC divulgou o volume 112, tratando de inseticidas organofosforados e herbicidas. O herbicida glifosato e os inseticidas malathion e diazinon foram classificados como provavelmente carcinogênico para humanos (Grupo 2A). O inseticidas tetraclorvinphos e paration foram classificados como possivelmente cancerígeno para os seres humanos (Grupo 2B).

Acesse a publicação Lancet Oncology ou leia o resumo da monografia IARC.