RR registrou 427 notificações de acidente de trabalho em três meses

O maior índice é acidente de trabalho grave, com 344 no total; somente este ano, entre janeiro a março, foram 344

Roraima registrou nos três primeiros meses deste ano, 427 notificações de acidentes de trabalho, sendo o maior índice os acidentes de trabalho graves, com 344 casos. A informação é do Sistema Informações de Agravos de Notificação (Sinan/Net). Fratura e amputação de membro, lesões e traumas decorrentes de acidentes são os que mais aparecem na estatística. “A maioria vitimizada é homem, devido ser a força de trabalho predominante em ampla execução de trabalho, principalmente, na área de construção civil”, disse o gerente do Cento de Referência Saúde do Trabalhador (Cerest), Jean Martins.

Nos anos de 2010 a 2012, o Estado tem apresentado a cada ano crescimento nas notificações, somente em 2013, houve uma leve queda. Quando em 2010 foram notificados 677 casos, no ano seguinte subiu para 1.083. Já em 2012, acidentaram-se 1.564 trabalhadores e no ano passado fechou em 1.449.

No total, o Sinan aponta 4.773 notificações de agravos em saúde do trabalhador, desde 2010 a março deste ano. Acidentes de trabalho com exposição a material biológico somaram 589. Mas o vencedor entre os números são os acidentes graves, com 3.834, ou seja, pessoas que sofreram alguma lesão que resultou em afastamento por um período ou afastamento definitivo das funções que desempenhavam ou até mesmo a morte do trabahador.

Os dados apontam 656 casos de intoxicações, lesão por esforço repetitivo (Ler/Dort) foram 27 pessoas e outros casos somam cinco acidentes. “O Cerest atua mediante uma denúncia, desde do Ministério Público a do próprio trabalhador”, explicou o gerente do Cerest.

Martins complementou que o Centro de Referência tem buscado fazer acompanhamento das notificações, como também cumprir a função de orientar e promover palestras de valorização e conscientização na tentativa de diminuir ou cessar os acidentes no Estado.

A mais recente visita dos técnicos do Cerest ocorreu em um Posto de Saúde, na zona Oeste da capital, atendendo o pedido do Mistério Público do Trabalho que esteve na unidade em 2012. A vistoria teve cunho de verificar se as recomendações à época foram atendidas. “Após cada visita técnica é feito um relatório, no qual enviamos para a Vigilância em Saúde, que é responsável de dar seguimento ao processo até chegar ao autor que solicitou a vistoria”, diz Martins.

CONFERÊNCIA DO TRABALHADOR

Para discutir o tema, a Secretaria Estadual de Saúde realiza dias 24 e 25 de julho, a II Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. O auditório para acolher os 60 delegados/as das macrorregiões de saúde (Norte e Sul) será na Escola Técnica de Saúde em Roraima (Etsus/RR). A programação será aberta às 17h, com credenciamento, aprovação de Regulamento, e encerrando com o primeiro painel de debate. O assunto será sobre o desenvolvimento socioeconômico e seus reflexos na saúde do trabalhador.

O segundo dia (25) começará às 9h, e terá três pontos de discussão em torno do eixo central do evento. “A ideia é elaborar propostas de melhorias na acessibilidade e atendimento a todos os trabalhadores em qualquer ramo de trabalho”, frisou Marília Almeida, secretária executiva do Conselho Estadual de Saúde (CES).

Fonte: BV News, 22/07/2014