RENAST

Trapezista cai de altura de 20 metros durante espetáculo em circo e é internado em estado gravíssimo em MT

CEREST Pindamonhangaba - seg, 04/06/2018 - 14:31
Um trapezista sofreu um acidente enquanto se apresentava em um espetáculo em um circo, na noite desse domingo (3), em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá (MT). Rogendegson Ramos de Abreu, de 33 anos, caiu de uma altura de aproximadamente 20 metros.Ele se apresentava no espetáculo do Circo Broadway, instalado perto do Aeroporto Marechal Rondon.Rogendegson estaria em um suporte, que teria rompido, e caiu de uma altura de aproximadamente 20 metros. Colegas do trapezista disseram que ele passou pela rede de proteção e caiu no chão, batendo a cabeça.Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada e socorreu o trapezista para o Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSMVG).O PSMVG informou que Rogendegson foi internado no box da unidade em estado gravíssimo. Ele passou por uma tomografia computadorizada e por intervenção cirúrgica. Os médicos suspeitam de lesão na coluna vertebral e traumatismo craniano.O trapezista está sedado e o estado de saúde dele é considerado gravíssimo. Ele passou por outros exames e aguarda a avaliação de um ortopedista no PSMVG. O médico poderá indicar os novos procedimentos.
Fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/trapezista-cai-de-altura-de-20-metros-durante-espetaculo-em-circo-e-e-internado-em-estado-gravissimo-em-mt.ghtml
Categorias: RENAST

No País, a cada dia, pelo menos sete crianças e adolescentes são vítimas de acidentes graves, no trabalho.

CEREST Regional de Campina Grande - seg, 04/06/2018 - 11:53


 Por Thiago Moraes 

Apesar de chocante, o número de vítimas é maior, já que essa estimativa é baseada apenas nos registros oficiais de acidentes de trabalho. Mais do que perder a infância exercendo atividades precoces, crianças e adolescentes no Brasil inteiro estão perdendo a vida e sendo mutiladas, vítimas de acidentes graves, em trabalhos insalubres e perigosos. Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), órgão do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2015, foram registradas no País 187 mortes de crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, e 518 casos de vítimas que tiveram a mão amputada, no trabalho, informa reportagem do MPT.
A campanha Para tentar mudar essa realidade, o Ministério Público do Trabalho (MPT) lançou a campanha nacional de combate à exploração do trabalho infantil. Com o slogan “Quando a infância é perdida, não tem jogo ganho”, a campanha foi lançada no último dia 30, às 9h, no auditório da Fiep, em Campina Grande. O evento foi em parceria com a Prefeitura Municipal e o Instituto Solidarium, iniciando as ações preventivas do São João de Campina Grande. O procurador do Trabalho Raulino Maracajá ressaltou que, em grandes eventos, como São João, Copa do Mundo e Eleições, o trabalho infantil tende a aumentar, inclusive a exploração sexual comercial (esta considerada crime e uma das piores formas de trabalho infantil). “Este ano, teremos esses três eventos. A ideia é chamar todos para o combate, com ações nas redes sociais e, ainda, apoio de TVs e rádios”, informou. “A ideia da campanha é sensibilizar sociedade e órgãos públicos para que tomem consciência da exploração precoce do trabalho e assumam sua responsabilidade no combate”, afirmou Maracajá. A campanha foi desenvolvida pela agência Sin Comunicação. Um vídeo e um spot de rádio foram criados, além de outras peças como cartaz, leque, outdoor, busdoor, camisa, cards para redes sociais. 15,6 mil crianças acidentadas no trabalho Nos últimos seis anos (2012 a 2017), 15.675 crianças e adolescentes no Brasil (até 17 anos) foram vítimas de acidentes graves no trabalho, segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, ferramenta do MPT e da OIT. Do total de vítimas, 72% (11.329) são do sexo masculino e 27,7% (4.346) são do sexo feminino. 2,7 milhões de crianças e adolescentes trabalham No Brasil, cerca de 2,7 milhões de crianças e adolescentes, na faixa etária de 5 a 17 anos, são explorados pelo trabalho precoce (dos quais 74 mil na Paraíba, sendo 64% do sexo masculino e 36% do sexo feminino), segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2015), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essas estatísticas também são uma amostragem e, portanto, não consideram as vítimas do narcotráfico e nem de outras atividades ilícitas e insalubres. Para o Ministério Público do Trabalho (MPT), esse é um “jogo” sem vencedores, pois o futuro de milhares de crianças está ameaçado. “O trabalho precoce afasta meninos e meninas da escola. O cansaço e o desestímulo aumentam a evasão e as chances de fracasso escolar. Então, muitos abandonam a escola e milhares de crianças acabam tendo o futuro comprometido”, afirmou o procurador do Trabalho Raulino Maracajá, que está coordenando a campanha na Paraíba. Ele acrescentou que, com baixa escolaridade, jovens egressos do trabalho infantil não terão boas oportunidades de inserção no mercado de trabalho. Sem formação e sem emprego, jovens ficam mais vulneráveis, mais próximos da criminalidade e mais longe dos seus sonhos. “É esse ciclo de pobreza e de exploração que precisamos vencer. Por isso, convocamos toda a sociedade, nossos atletas da Seleção Brasileira de Futebol, nossos artistas e a imprensa do País inteiro para jogar em um ‘grande time’ contra o trabalho infantil. Pois, se a infância é perdida, não tem jogo ganho. É um jogo sem vencedores e o Brasil todo sai derrotado”, pontuou Raulino Maracajá. Ele destacou que esse trabalho de prevenção e combate deve ser contínuo e que, em Campina Grande, o MPT e a Secretaria de Assistência Social fazem um acompanhamento o ano todo com famílias de crianças flagradas trabalhando. RANKING – PERCENTUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, 5 A 17 ANOS, TRABALHANDO Unidade da Federação – (%) 1º) São Paulo – 15,2 2º) Minas Gerais – 12,4 3º) Bahia – 9,0 4º) Rio Grande do Sul – 6,7 5º) Pará – 6,3 6º) Paraná – 5,9 7º) Maranhão – 5,4 8º) Pernambuco – 4,6 9º) Goiás – 3,7 10º) Santa Catarina 3,6 11º) Paraíba, Piauí e Ceará – 2,8% 12º) Rio de Janeiro – 2,7 13º) Amazonas e Mato Grosso – 2,2 14º) Sergipe e Espírito Santo – 1,8 15º) Mato Grosso do Sul – 1,7 16º) Rio Grande do Norte – 1,6 17º) Alagoas e Rondônia – 1,2 18º) Tocantins – 0,8 19º) Distrito Federal – 0,7 20º) Acre – 0,6 21º) Roraima – 0,3 22º) Amapá – 0,2 (Fonte: IBGE/Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios/PNAD/2015). DADOS: – NO BRASIL – MAIS DE 15 MIL CRIANÇAS E ADOLESCENTES (15.675), DE 5 A 17 ANOS, FORAM VÍTIMAS DE ACIDENTES GRAVES NO TRABALHO, NOS ÚLTIMOS SEIS ANOS (2012 A 2017). – 72% DAS VÍTIMAS (11.329) SÃO DO SEXO MASCULINO E 27,7% (4.346) DO SEXO FEMININO. – DADOS SÃO CHOCANTES, MAS O NÚMERO DE VÍTIMAS PODE SER MUITO MAIOR, JÁ QUE OS DADOS CONSIDERAM APENAS OS REGISTROS OFICIAIS (CAT – COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO). (FONTE: OBSERVATÓRIO DIGITAL DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO, FERRAMENTA DO MPT E DA OIT). – FORAM REGISTRADAS NO PAÍS 187 MORTES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, ENTRE 5 E 17 ANOS, E 518 VÍTIMAS QUE TIVERAM A MÃO AMPUTADA, NO PERÍODO ENTRE 2007 E 2015. (FONTE: SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO (SINAN), ÓRGÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE) – NO BRASIL – 2,7 MILHÕES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, DE 5 A 17 ANOS, SÃO EXPLORADOS PELO TRABALHO PRECOCE. MAIORIA DAS VÍTIMAS É DO SEXO MASCULINO. – NA PARAÍBA- 74 MIL ESTÃO NO TRABALHO INFANTIL, 64% SÃO DO SEXO MASCULINO. (FONTE: PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS – PNAD 2015/IBGE).
http://www.paraibaradioblog.com
Categorias: RENAST

Notificação de perda auditiva induzida por ruído

CEREST Pindamonhangaba - seg, 04/06/2018 - 07:52
A perda auditiva é um dos agravos à saúde dos trabalhadores que mais prevalece. O trabalhador exposto a ruído intenso tende a desenvolver, progressivamente, perda auditiva do tipo neurossensorial, geralmente bilateral e irreversível. Construir indicadores de Perdas Auditivas Induzidas por Ruído (PAIR) por meio da análise das notificações compulsórias junto ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde (MS), ajuda a nortear ações de prevenção, promoção e proteção à saúde dos trabalhadores. Leia o resumo de trabalho de pesquisa "Notificação de Perda Auditiva Induzida por Ruído" apresentado no 30º Encontro Internacional de Audiologia (2015) pela fonoaudióloga Aretusa Monteiro Flores Silva: http://www.audiologiabrasil.org.br/eiabauru2015/anais2015/resumos/R0034-1.html
Categorias: RENAST

Prefeitura de Passos - MG divulga edital retificado de Processo ... - PCI Concursos

Notícias RENAST - sex, 01/06/2018 - 16:11

PCI Concursos

Prefeitura de Passos - MG divulga edital retificado de Processo ...
PCI Concursos
... CEREST (1); Cirurgião Dentista - ESF (2); Cirurgiões Dentistas Especialistas em Cirurgia Buco-Maxilofacial (2); Endodontia (2); Atendimento de Pacientes Especiais (2) e Periodontia (2); Enfermeiro do CEREST - Centro de Referência do Trabalhador (1 ...

e mais »
Categorias: RENAST

Campanha de combate ao trabalho infantil é lançada em Campina Grande

CEREST Regional de Campina Grande - sex, 01/06/2018 - 10:54


“Quando a infância é perdida, não tem jogo ganho”. É esse o título da campanha lançada na manhã da última quarta-feira, 30, pela Prefeitura de Campina Grande, por meio da Secretaria de Assistência Social (Semas), e pelo Ministério Público do Trabalho, no enfrentamento e combate ao trabalho infantil durante o Maior São João do Mundo. O evento aconteceu no auditório da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep). O procurador-geral do Município, José Mariz, representou o prefeito Romero Rodrigues na ocasião, enquanto o secretário executivo da Semas, Rubens Nascimento, foi representado por Maésio Tavares Melo. Os procuradores do MPT, Raulino Maracajá e Carlos Eduardo, o juiz titular da Vara da Infância e Juventude da comarca e Campina Grande, Algacyr Negromonte, e o deputado estadual Bruno Cunha Lima, representando a Assembleia Legislativa, prestigiaram a solenidade. Também compareceram representantes das secretarias de Saúde e Educação, Conselho Tutelar e todas as instituições que compõem a Rede de Proteção à Criança e Adolescente de Campina Grande (Redeca). A Ação Intersetorial é realizada em parceria com o MPT desde 2014, tendo como intuito o combate e a prevenção à exploração do trabalho infantil e sexual, bem como venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos no interior do Parque do Povo durante o Maior São João do Mundo. Em 2018, a festa acontece entre os dias 8 de junho e 8 de julho. Cerca de 45 técnicos sociais vão realizar as ações de quinta a domingo, e nos dias que a festa receber um número maior de visitantes, nos grandes shows ou nos feriados, totalizando 23 noites.
Apresentação cultural O lançamento da campanha contou com a apresentação cultural do grupo de crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), com a peça “Todo dia é 18”, alusivo ao dia 18 de maio, data que marca a luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes, e do grupo Tamanquinhos das Artes. Para o procurador do MPT Raulino Maracajá, a campanha tem o intuito de trazer o tema de exploração sexual e de trabalho infantil à tona no São João. “A cidade de Campina Grande recebe no período do Maior São João do Mundo um grande número de turistas. Então tentamos reduzir os números alarmantes de trabalho infantil e sexual, conseguindo êxito desde de 2014, quando se iniciou a ação intersetorial. Em 80% dos casos onde foi detectado a violação de direitos no Parque do Povo atingimos um bom grau de resolutividade”, declarou. Durante a solenidade, as autoridades reiteraram que os comerciantes que forem flagrados explorando o trabalho de crianças no Parque do Povo, ou comercializando bebidas alcóolicas para menores de 18 anos, serão descredenciados e não poderá renovar o cadastro para o ano seguinte. Esse ano a Ação Intersetorial ganhará um destaque internacional. A Organização Internacional do Trabalho (OIT), que faz parte das Nações Unidas, fará uma visita técnica de acompanhamento das equipes de abordagem social durante os festejos junino. A portaria 01/2018, emitida pela Vara da Infância e Juventude de Campina Grande, dispõe sobre a hospedagem, entrada de crianças e adolescentes no interior do Parque do Povo, casas de espetáculo e eventos ligados ao Maior São João do Mundo. Segundo o juiz titular da comarca de Campina Grande, Algacyr Negromonte, a portaria disciplina a entrada de criança e adolescente que são pessoas de 12 anos incompletos até 16 incompletos. “Entre 16 e 18 anos o jovem pode entrar livremente no Parque do Povo, sem nenhum problema. O jovem entre 12 e 16 anos incompletos só pode ter acesso à festa acompanhado pelos pais, tutores ou responsáveis legais. Caso esteja sendo acompanhado por um terceiro, será obrigatória a apresentação de uma autorização por escrito, assinada pelo responsável, válido apenas por uma noite, sendo retido o documento pela portaria do Parque do Povo”, detalhou o magistrado. O modelo do formulário de autorização está disponível no site do Tribunal de Justiça da Paraíba e na Vara da Infância e Juventude de Campina Grande. Fonte: Da Redação com Ascom

Categorias: RENAST

Soluções simples reduzem acidentes no trânsito - Diário da Amazônia

Notícias RENAST - qui, 31/05/2018 - 08:28

Soluções simples reduzem acidentes no trânsito
Diário da Amazônia
A implantação de semáforos em locais onde ocorrem muitos acidentes de trânsito não resolve o problema. A afirmação é do coordenador do Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito de Rondônia (Renast), do Detran Rondônia, João ...

Categorias: RENAST

Acre participa de reunião técnica do Conass em Brasília « Acre ... - Folha Nobre (Blogue)

Conferências de Saúde do Trabalhador - qua, 30/05/2018 - 21:21

Acre participa de reunião técnica do Conass em Brasília « Acre ...
Folha Nobre (Blogue)
A Vigilância em Saúde, área estratégica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) participa, em Brasília, da reunião conjunta de quatro Câmaras Técnicas do ...

e mais »
Categorias: RENAST

MOBILIDADE URBANA: Soluções simples são mais eficientes na ... - Rondoniaovivo

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 15:48

Rondoniaovivo

MOBILIDADE URBANA: Soluções simples são mais eficientes na ...
Rondoniaovivo
A implantação de semáforos em locais onde ocorrem muitos acidentes de trânsito não resolve o problema, a afirmação é do coordenador do Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito de Rondônia (Renast), do Detran Rondônia, João ...

Categorias: RENAST

Marília terá trabalho exposto em congresso nacional de saúde - Globo.com

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 15:00

Globo.com

Marília terá trabalho exposto em congresso nacional de saúde
Globo.com
A experiência de sucesso é de iniciativa do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) regional, que recebeu menção honrosa e foi escolhida na edição 2018 do Congresso promovido pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde do ...

Categorias: RENAST

Pedidos de auxílio-doença por acidente de trabalho crescem 40% em Araçatuba (SP)

CEREST Pindamonhangaba - qua, 30/05/2018 - 14:40
O número de pedidos de auxílio-doença por acidente de trabalho em Araçatuba (SP) aumentou 40% nos quatro primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período em 2017, segundo o INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). No comparativo entre 2016 e 2017, houve uma diferença de apenas dois benefícios – foram 467 em 2016 e 469 em 2017. Nos primeiros quatro meses de 2018, foram 168 concessões de auxílio-doença, uma média de 1,4 por dia. No primeiro quadrimestre de 2017 foram 120 benefícios em Araçatuba.De acordo com o Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador) de Araçatuba, foram registrados 640 acidentes de trabalho no primeiro quadrimestre de 2018. Em 2017, foram 2.142 durante todo o ano.Segundo dados do MPT (Ministério Público do Trabalho) divulgados em março, os acidentes de trabalho custaram mais de R$ 26 bilhões à Previdência Social entre 2012 e 2017. Nesse mesmo período, foram 3,87 milhões de notificações de acidente de trabalho. Em 2017, foram 574 mil e, em 2018, foram registradas mais de 100 mil notificações de acidente de trabalho até março. Ainda entre 2012 a 2017, também segundo o MPT, os trabalhadores afastados por acidentes perderam 315 milhões de dias de trabalho.
SetoresConforme o levantamento divulgado pelo MPT, setorialmente, as notificações de acidente de trabalho foram mais frequentes no ramo hospitalar e de atenção à saúde, público e privado, onde foram registrados 10% dos casos. Na sequência, aparecem o comércio varejista (3,5%); a administração pública (2,6%); Correios (2,5%) e a construção (2,4%), seguido pelo transporte rodoviário de cargas (2,4%). Entre os profissionais mais vitimados estão os que trabalham em linhas de produção; os técnicos de enfermagem; faxineiros; serventes de obras e motoristas de caminhões. Quem trabalha em contato com máquinas e equipamentos tem mais chances de se acidentar e de sofrer ferimentos mais graves.

AlmoçoA operadora de telemarketing Érica Jodas de Sousa, 30 anos, ficou afastada cinco meses do trabalho entre 2016 e 2017 por causa de um acidente. Ela estava com uma amiga de moto, no horário de almoço, quando foi atingida por um carro na avenida Brasília, em Araçatuba.Ela deu entrada no seguro e recebeu o benefício durante três meses. Depois ela teve que fazer outra cirurgia e conseguiu renovar o seguro. “Trinquei o punho, quebrei o fêmur e na segunda cirurgia descobri que a cabeça do fêmur estava fora do lugar”, contou. As cirurgias foram em dezembro de 2016 e julho de 2017.Mesmo de volta ao trabalho, Erica ainda tem sequelas e não consegue fazer coisas simples, como amarrar os sapatos do lado esquerdo, porque não tem condições de agachar. “Quando ando bastante, sento e levanto, as duas pernas doem demais. Mas pior hoje é o quadril e não consegui recuperar os movimentos mesmo fazendo fisioterapia e academia”, completa.
RecursoDe acordo com o advogado Eduardo Fabian Canola, especialista em direito previdenciário, o INSS tem se negado a conceder benefícios por longo período, a não ser em casos de doenças mais graves, como câncer.Segundo ele, quando o benefício é negado, o ideal é entrar com recurso, mas com a ajuda de um advogado, porque é possível que a pessoa seja avaliada por um médico neutro e não um indicado pelo INSS.Conforme o advogado, uma “vantagem” em ser beneficiado com o auxílio-doença por acidente de trabalho é a estabilidade de 12 meses após a volta ao serviço. Ou seja, o funcionário não pode ser demitido.O cálculo do auxílio-doença é feito de acordo com os últimos salários de contribuição. O valor do benefício é definido a partir dos 12 últimos salários em que foram descontados a contribuição do INSS. Esses salários são somados e divididos por 12. O resultado é o valor do auxílio-doença. As empresas pagam os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador, e o INSS, a partir do 16º, pelo período restante.
Fonte: http://www.folhadaregiao.com.br/2018/05/28/pedidos-de-auxilio-doenca-por-acidente-de-trabalho-crescem-40-em-aracatuba
Categorias: RENAST

Processo Seletivo Prefeitura de Passos – MG - Edital Concursos Brasil (liberação de imprensa) (Blogue)

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 14:34

Edital Concursos Brasil (liberação de imprensa) (Blogue)

Processo Seletivo Prefeitura de Passos – MG
Edital Concursos Brasil (liberação de imprensa) (Blogue)
Técnico de Farmácia (Rede de Atenção Psicossocial, UPA); Cirurgião Dentista (ESF, Cirurgia Buco-Maxilofacial, Endodontia, Atendimento de Pacientes Especiais, Periodontia); Enfermeiro do (CEREST e UPA); Farmacêutico (NASF, RAPS); Farmacêutico, ...

e mais »
Categorias: RENAST

Acre participa de reunião técnica do Conass em Brasília - Agência de Notícias do Acre

Conferências de Saúde do Trabalhador - qua, 30/05/2018 - 13:59

Agência de Notícias do Acre

Acre participa de reunião técnica do Conass em Brasília
Agência de Notícias do Acre
A Vigilância em Saúde, área estratégica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) participa, em Brasília, da reunião conjunta de quatro Câmaras Técnicas do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass): epidemiologia, saúde do trabalhador, ... O ...

Categorias: RENAST

Saúde e segurança do trabalhador serão discutidas no TRT/MS

CEREST Pindamonhangaba - qua, 30/05/2018 - 12:05
Por que adoecemos no trabalho? É possível trabalhar sem adoecer? Qual nosso papel para criar ambientes de trabalho saudáveis? Essas são algumas perguntas feitas pelo médico do trabalho René Mendes, especialista em Saúde Pública, que estará em Campo Grande para o lançamento do "Dicionário de Saúde e Segurança do Trabalhador".Antes do lançamento, René Mendes ministrará a palestra "A crescente complexidade das questões de Saúde e Segurança no Trabalho (SST) e a necessidade de novas abordagens". A discussão é voltada para profissionais e acadêmicos das áreas da Saúde, Segurança no Trabalho, Gestão de Pessoas, Administração e assessorias sindicais de trabalhadores. A palestra é de graça e será realizada no dia 20 de junho, no edifício-sede do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região, que organiza o evento juntamente com a Universidade Católica Dom Bosco, o Ministério Público do Trabalho, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul (SRTE/MS), a Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro), o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Mato Grosso do Sul (Cerest MS) e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Regional Campo Grande), com apoio da Vetorial Energética LTDA. O credenciamento começará às 18h30 e a abertura será às 19h. As inscrições podem ser feitas pelo site da Fundacentro em: http://www.fundacentro.gov.br/cursos-e-eventos/inscricao-no-evento/789
Referência e reflexão em saúdeO "Dicionário de Saúde e Segurança do Trabalhador" é uma obra coletiva que reúne 522 autores do Brasil e de outros 24 países para falar sobre a relação de trabalho e a complexidade dos impactos sobre a saúde dos trabalhadores. O livro possui 1.236 verbetes temáticos, biográficos, institucionais e de relatos de casos históricos e emblemáticos. Entre os especialistas que contribuíram com o dicionário estão duas pesquisadoras de Campo Grande: a professora da UCDB, Liliana Magalhães Guimarães, que é mestra em Psicologia da Saúde e doutora em Saúde Mental; e a analista do INSS e mestra em Ciências e Tecnologias em Saúde, Lilian Lessa Varandas. 
"O Dicionário foi estruturado de acordo com seu subtítulo: Conceitos - Definições - História - Cultura. Ele busca ir além das normas, leis e definições técnicas legais, para estimular o autoconhecimento da nossa área, para conhecer nossas raízes, para demonstrar a complexidade da matéria e a necessidade de múltiplos e distintos olhares e abordagens", salienta René Mendes. O médico completa que a obra tem como proposta estimular a reflexão e o debate, servindo também como um patamar mais elevado de referência conceitual e instrumental, para defesa da vida e saúde dos trabalhadores e trabalhadoras. 
Sobre o palestrante e autorRené Mendes é médico especialista e professor de Saúde Pública e Medicina do Trabalho, com quase 45 anos de experiência profissional, atuação no Ministério do Trabalho, Ministério da Saúde, Fundacentro e em organismos internacionais como a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS),Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organização Internacional do Trabalho (OIT). É autor de livros nas áreas de Medicina do Trabalho e Saúde do Trabalhador e tem cerca de 200 trabalhos publicados na forma de artigos em periódicos, resumos em anais de congressos, teses de pós-graduação, capítulos de livros, autoria, edição ou organização de livros. 
Palestra e lançamento de livro Dia: 20 de junho Horário: 18h30Local: TRT/MSEndereço: Rua Delegado Carlos Roberto Bastos de Oliveira, 208 - Parque dos Poderes  - Campo Grande - MS
Inscrições: http://www.fundacentro.gov.br/cursos-e-eventos/inscricao-no-evento/789
Categorias: RENAST

Prefeitura de Passos - MG divulga nova retificação de Processo ... - PCI Concursos

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 11:07

PCI Concursos

Prefeitura de Passos - MG divulga nova retificação de Processo ...
PCI Concursos
O documento informa a alteração no quantitativo de vagas dos cargos de Assistente Social - NASF, Assistente Social - CEREST e Engenheiro de Segurança do Trabalho - Centro de Referência do Trabalhador, que passam a ofertar apenas chances de ...

e mais »
Categorias: RENAST

Prefeitura Municipal de Passos - MG anuncia Processo Seletivo ... - PCI Concursos

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 11:07

PCI Concursos

Prefeitura Municipal de Passos - MG anuncia Processo Seletivo ...
PCI Concursos
... CEREST (1); Cirurgião Dentista - ESF (2); Cirurgiões Dentistas Especialistas em Cirurgia Buco-Maxilofacial (2); Endodontia (2); Atendimento de Pacientes Especiais (2) e Periodontia (2); Enfermeiro do CEREST - Centro de Referência do Trabalhador (1 ...

Categorias: RENAST

Polícia Civil recupera 27 cabeças de gado e esclarece furtos - CenárioMT

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 09:29

CenárioMT

Polícia Civil recupera 27 cabeças de gado e esclarece furtos
CenárioMT
Um diagnóstico dos acidentes de trabalho em Mato Grosso elaborado pelo Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do setor da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), aponta a ocorrência de 11.327 ...

e mais »
Categorias: RENAST

Diagnóstico aponta incidência de acidentes graves de trabalho em ... - CenárioMT

Notícias RENAST - qua, 30/05/2018 - 09:15

CenárioMT

Diagnóstico aponta incidência de acidentes graves de trabalho em ...
CenárioMT
Um diagnóstico dos acidentes de trabalho em Mato Grosso elaborado pelo Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do setor da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), aponta a ocorrência de 11.327 ...

Categorias: RENAST

Número de notificações de acidentes de trabalho graves teve aumento em Mato Grosso

CEREST Pindamonhangaba - qua, 30/05/2018 - 08:14
Um diagnóstico dos acidentes de trabalho em Mato Grosso elaborado pelo Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do setor da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), aponta a ocorrência de 11.327 casos graves no estado no período de 2012 a 2016.O levantamento, realizado no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), foi categorizado por faixa etária, sexo, raça, escolaridade, ocupação, local, tipo de acidente e inclusive as partes do corpo mais atingidas.Em 59,1%  das ocorrências os empregados são registrados, sendo que 67,2% dos acidentes ocorreram nas instalações do contratante e 82,4% durante a execução das tarefas laborais. A faixa etária de maior incidência é entre 25 a 34 anos, 88,4% das vítimas são homens das raças branca e parda, com nível de escolaridade entre o 1º e o 3º ano do Ensino Médio, que trabalham na zona urbana e na maioria dos casos encontram-se nos setores como agropecuário, construção civil e na operação de máquinas e equipamentos e veículos automotores.Toda esta conjuntura, de acordo com o coordenador do Cerest/MT, Paulo Lima, pode ser interpretada como ambientes de trabalho que não oferecem segurança adequada aos trabalhadores, seja por jornadas de trabalho extensivas, tipo de organização do trabalho e, ou falta de equipamentos de proteção coletiva e individual.
As partes do corpo mais atingidas são os membros superiores (49,1%), principalmente as mãos, seguida dos membros inferiores (13,3%) e cabeça (11,8%). Sobre a evolução dos casos, 40,9% obtiveram cura e 36,9% apresentaram incapacidade temporária, o que provoca o afastamento do serviço para tratamento e isto causa forte impacto nas condições socioeconômicas, familiares e psicológicas do trabalhador.  Dos 11.327 trabalhadores vítimas de acidentes de trabalho de 2012 a 2016, 318 (2,8%) foram a óbito.A Taxa de Incidência (TI) dos acidentes de trabalho grave teve um aumento expressivo no período analisado, saindo de 120,2 em 2012 para 202,4 acidentes de trabalho para cada 100 mil habitantes em 2016.Para Paulo Lima, a provável causa do aumento da Taxa de Incidência para acidentes graves, foi o aumento das notificações realizadas pelos profissionais de saúde das Unidades Sentinelas, que durante este período receberam capacitação realizada pelo Cerest/MT para investigação e preenchimento das fichas do SINAN para os agravos relacionados ao trabalho, melhorando muito a quantidade destas notificações. “Mesmo assim, estima-se que são muitas as subnotificações”, alerta o coordenador.Já a incidência de óbitos caiu de 16,9 para 14 a cada 100 mil habitantes nesse mesmo período, porém, observa-se que as regionais que apresentaram as maiores taxas de mortalidade foram Juína, Sinop, Alta Floresta, Diamantino e Água Boa.“Os casos de óbitos por acidente de trabalho estão mais concentrados na rota de maior desenvolvimento econômico do agronegócio em Mato Grosso, porém vale lembrar que na Regional da Baixada Cuiabana os registros dos óbitos por acidente de trabalho e dos Acidentes de Trabalho Grave estão muito aquém da realidade, considerando esta ser a Regional que concentra a maior parte da população economicamente ativa e ocupada”, afirma Paulo Lima.O coordenador do Cerest/MT observa que Mato Grosso é um estado que tem apresentado um elevado nível de desenvolvimento econômico baseado principalmente na produção agropecuária. Disso, ocorre a necessidade de medidas de proteção, prevenção e controle dos riscos à saúde dos trabalhadores nos ambientes de trabalho, principalmente nesse segmento da economia.“E isto pode ser feito mediante a inserção de mecanismos, tecnologias e instrumentos que incorporem a antecipação dos riscos e permitam a prevenção dos agravos relacionados ao trabalho nos diversos campos de atuação e nos processos e atividades produtivas fomentadas por essas políticas de desenvolvimento”.A garantia da efetividade das ações de promoção e proteção da saúde dos trabalhadores pressupõe a articulação entre as diversas políticas, incluindo o campo da saúde do trabalhador. “Por isso é necessário incluir atividades de Vigilância em Saúde do Trabalhador e monitorar os fatores de risco para as doenças e acidentes relacionados ao trabalho com a participação dos trabalhadores e do Controle Social nos ambientes de trabalho”, finaliza Paulo Lima, salientando que este diagnóstico, mesmo com números subestimados, apresenta um norte para estabelecer prioridades para a atuação da saúde do trabalhador no estado de Mato Grosso.
Fonte: https://www.24horasnews.com.br/noticia/acidentes-de-trabalho-grave-teve-aumento-em-mato-grosso.html
Categorias: RENAST

Acidentes de trabalho grave teve aumento em Mato Grosso - 24Horas News (liberação de imprensa) (Blogue)

Notícias RENAST - ter, 29/05/2018 - 21:24

24Horas News (liberação de imprensa) (Blogue)

Acidentes de trabalho grave teve aumento em Mato Grosso
24Horas News (liberação de imprensa) (Blogue)
Um diagnóstico dos acidentes de trabalho em Mato Grosso elaborado pelo Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do setor da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), aponta a ocorrência de 11.327 ...

Categorias: RENAST

Cuba se propõe reduzir o número de acidentes de trabalho

CEREST Pindamonhangaba - ter, 29/05/2018 - 14:19
A notícia abalou todo o mundo: «O fulano está internado na sala de queimados, com perigo para a vida». Dias depois aconteceu o inevitável, perdeu-se uma vida que apenas ultrapassava dos 30 anos, familiares e próximos foram invadidos pela tristeza que ainda não conseguiram superar.Cenas deste tipo não são tão infrequentes. Em 2017, registraram-se em Cuba — segundo dados oferecidos pelo Ministério de Trabalho e Previdência Social (MTSS) — 3.229 acidentes de trabalho com um saldo de 3.278 lesados. Por causa dos acidentes nas estradas, cujo número se incrementou, morreram 20 motoristas, 17 técnicos e 9 diretivos.Também em 2017 aumentaram os acidentes equiparados, isto é, aqueles que não chegam a ocorrer no trabalho, mas em função dele, indo ou saindo dos locais.A estimativa dos danos acarretados por estes contratempos ultrapassa os 20 milhões de pesos, devido aos gastos pelo translado ao hospital, as perdas dos equipamentos, o tempo deixado de trabalhar e as pessoas que têm que parar suas atividades por causa do acidente. Também, deve-se acrescentar a esse cálculo que por estes acontecimentos, a Previdência Social paga em subsídios um número que beira os oito milhões de pesos.A cada ano, segundo estimativas da Organização Internacional do Trabalho, ao redor de 3,17 milhões de pessoas são vítimas de acidentes de trabalho no mundo todo e 2,34 milhões morrem devido a acidentes ou doenças profissionais. Ainda que, comparado com estes dados, os números de Cuba sejam baixos, o MTSS aspira a que haja menos eventos desta natureza.
Em questões de segurança e saúde ter zero acidente é bastante difícil porque há processos técnicos e ninguém pode prever que um problema técnico possa acontecer. Contudo, atualmente o Ministério da Energia e Mineração (um dos mais prejudicados por acidentes de trabalho) está tentando levar a zero os acidentes no trabalho.Também o país pôs interesse especial em reduzir os acidentes na estrada, daí que a segurança rodoviária seja um tema que compete à Procuradoria Geral, o Supremo Tribunal, os ministérios da Justiça e dos Transportes, além da Polícia.
Prever e capacitarEm Cuba, a segurança no trabalho é um dos princípios fundamentais recolhidos no Código de Trabalho, o qual reconhece «o direito dos trabalhadores à segurança e saúde no trabalho, mediante a adoção de medidas para a prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais».Este mesmo documento expressa: «Os trabalhadores recebem proteção, mediante o Sistema de Previdência Social, em casos de doença, acidente, maternidade, invalidez e velhice, se acontecer o falecimento, recebem essa proteção seus familiares, conforme o estabelecido na Lei de Previdência Social ou nos regimes especiais, segundo o caso».Para evitar eventos lamentáveis como a morte do trabalhador ou lesões irreversíveis e conforme as políticas de segurança e saúde no trabalho, os organismos em que se trabalha em condições de alta periculosidade dispõem de um orçamento destinado à compra de meios de proteção. O uso destes meios é obrigatório.Hoje o MTSS, para prever perdas de vidas humanas e danos materiais, não apenas demanda maior precisão ao determinar as causas dos acidentes no trabalho, mas também exige mais acompanhamento à saúde dos trabalhadores, especialmente os que dirigem veículos, que sejam ou não motoristas profissionais, devem submeter-se a check-ups. Tal disposição inclui igualmente aos que manejam bicicletas-táxis e carros com tração animal.A esse respeito Ángel San Martín Dupoté, chefe do departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, do MTSS, explica: «A cada ano fazemos ações para diminuir os acidentes de trabalho.«Prevemos workshops e pesquisas de acidentes e o trabalho nos locais de trabalho (sobretudo nos que tinham trabalho em altura) na prevenção neste tipo de atividade».«A capacitação neste ano está encaminhada aos chefes diretos e chefes dos primeiros níveis porque a atividade deve ser atendida desde o empregador com maior hierarquia».
O acidente e o incidenteSegundo o estabelecido na legislação cubana, para que um fato se considere acidente de trabalho, o trabalhador deve perder, ao menos, um dia de expediente de trabalho. Caso não perder um dia de trabalho, o acontecimento é catalogado como incidente de trabalho, o qual pode deixar sequelas.O MTSS exige que sejam investigados, também, os incidentes de trabalho, já que estes, em longo prazo, podem afetar a saúde do trabalhador.O Código Penal cubano sanciona aqueles que não preveem a ocorrência de acidentes de trabalho com penas de até três anos de prisão.
Fonte: http://pt.granma.cu/cuba/2018-05-24/cuba-se-propoe-reduzir-o-numero-de-acidentes-de-trabalho
Categorias: RENAST

Páginas

Subscribe to Renast Online agregador - RENAST