Você está aqui

determinantes sociais da saúde

determinantes e determinação social da saúde

"Territórios Saudáveis e Sustentáveis (TSS) podem ser definidos como: espaços relacionais e de pertencimento onde a vida saudável é viabilizada, por meio de ações comunitárias e de políticas públicas, que interagem entre si e se materializam, ao longo do tempo, em resultados que visam a atingir o desenvolvimento global, regional e local, em suas dimensões ambientais, culturais, econômicas, políticas e sociais." (Huet et al. 2017)

Este artigo busca analisar as relações entre saúde e seus determinantes sociais, apresentando inicialmente o conceito de determinantes sociais de saúde (DSS) e uma breve evolução histórica dos diversos paradigmas explicativos do processo saúde/doença no âmbito das sociedades, desde meados do século XIX. Em seguida são discutidos os principais avanços e desafios no estudo dos DSS, com ênfase em novos enfoques e marcos de referência explicativos das relações ente os diversos níveis de DSS e a situação de saúde.

De 2 a 4 de setembro, ocorreu no Mar Hotel, no Recife, a 1ª Conferência Regional sobre Determinantes Sociais da Saúde (CRDSS). O evento, transmitido pelos portais DSS Brasil e DSS Nordeste, alcançou aproximadamente 6 mil acessos on-line. O evento contou com a presença de representantes do governo, sociedade civil, academia e especialistas da área de saúde.

O ensaio aborda criticamente a noção de determinantes sociais da saúde, veiculada oficialmente pela Organização Mundial da Saúde, a partir da discussão sobre sua perspectiva conceitual que difere bastante daquela cunhada por volta dos anos 1970, pela corrente médico-social latino-americana, de determinação social da saúde. A discussão desnuda os preceitos filosóficos que sustentam a noção de determinantes sociais da saúde, a partir dos argumentos fundados na sociologia positivista de Émile Durkheim.

Diante da gravidade da crise envolvendo graves retrocessos de políticas sociais em curso no Brasil, a proposta deste ensaio é pensar alternativas para futuras intervenções em Saúde do Trabalhador em uma perspectiva emancipatória. Trata-se de um convite à reflexão de novos horizontes teóricos e políticos que façam dialogar a Saúde do Trabalhador com os referenciais da abordagem pós-colonial e da proposição das Epistemologias do Sul (EdS).

A Conferência Mundial sobre DSS (CMDSS) a ser realizada no Rio de Janeiro nos dias 19, 20 e 21 de outubro de 2011 é um encontro de governos e da sociedade civil para debater estratégias e metodologias e assumir o compromisso coletivo de combate às iniquidades em saúde, através da ação sobre seus determinantes sociais.

Alinhado com a missão institucional, e dialogando com as teses aprovadas no VIII Congresso Interno da FIOCRUZ, a vice-presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS) dá início ao Ciclo de Estudos Saúde e Ambiente, Saúde do Trabalhador e Emergência em Saúde – COVID 19, com o objetivo de contribuir na atualização da produção, disseminação e compartilhamento de conhecimentos e tecnologias em Saúde, Ambiente e Sustentabilidade, voltados para o fortalecimento e a consolidação do Sistema Único de Saúde, a promoção da saúde e a qualidade de vida da população brasileira.

O 11º encontro do Centro de Estudos da ENSP em 2013 ocorrerá na próxima quarta-feira (21/8), com o tema Determinantes sociais de saúde: como as desigualdades se expressam no trabalho?. A expositora convidada é a pesquisadora Susanna Toivanen, do Instituto Karolinska/Universidade de Estocolmo, e a coordenação ficará a cargo da pesquisadora da ENSP Dóra Chor. O Ceensp, que iniciará às 14 horas, no salão internacional da Escola, contará com tradução simultânea e será transmitido pela internet, pelo Portal ENSP.

No dia 21 de fevereiro o ISAGS recebeu a pesquisadora Asa Cristina Laurell para a conferência “Sistemas Universales de Salud: retos y desafíos” (Sistemas Universais de Saúde: objetivos e desafios) que foi transmitida on-line para centenas de pessoas de mais de vinte países. Reconhecida como uma das pesquisadoras mais representativas da corrente da medicina social latino-americana, Asa Cristina é autora de mais de cinquenta artigos publicados em revistas científicas especializadas e dez livros.

"Pessoas em desvantagem social encontram-se mais suscetíveis às situações de vulnerabilidade - ocasionadas por piores condições habitacionais, condições de trabalho perigosas ou estressantes e menor acesso aos serviços sociais de maneira geral", alertou o diretor do Centro de Relações Internacionais da Fiocruz (Cris), Paulo Buss. Durante a sessão científica promovida pelo curso de especialização em Promoção da Saúde e Desenvolvimento Social da ENSP, o ex-presidente da Fundação analisou as formas pelas quais o meio social ou a conduta individual podem interferir na saúde.