Você está aqui

O Agente Comunitário de Saúde deve, primeiramente, identificar trabalhadores e famílias com risco de exposição aos agrotóxicos na sua microárea. Necessita também trabalhar em cooperação com a vigilância sanitária, comunicando imediatamente situações de exposição e de risco.

A visita ao local de trabalho do trabalhador que lida com agrotóxicos é muito importante, pois permite verificar a adequação do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) (1).

Os EPIs mais comumente utilizados são: máscaras protetoras, óculos, luvas impermeáveis, chapéu impermeável de abas largas, botas impermeáveis, macacão com mangas compridas e avental impermeável. Os EPIs necessários na utilização do agrotóxico estão indicados no receituário agronômico e nos rótulos dos produtos (2).

A lavagem dos EPIs deve ser feita usando luvas e separada das roupas da família. Também devem ser mantidos em locais limpos, secos, seguros e longe de produtos químicos (2).

Bibliografia selecionada:

1- Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes para atenção integral à saúde do trabalhador de complexidade diferenciada: protocolo de atenção à saúde dos trabalhadores expostos a agrotóxicos. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

2- Uso de agrotóxicos [Internet]. Embrapa; c2003 [citado 2009 Out 29]. Disponível em:
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Banana/BananaAmazonas/agrotoxicos.htm#equipamentos

Categoria da Evidência: Grau D

Profissional solicitante: Agente Comunitário de Saúde

Descritores: Exposição a Praguicidas; Envenenamento/prevenção & controle

Teleconsultor: Thiago Frank

Fonte: BVS Telessaude - 30/10/2009