Você está aqui

Morbimortalidade por acidentes de trabalho entre trabalhadores da mineração - Brasil, 2007-2015

O Brasil é um dos maiores produtores de minério do mundo. Esta produção correspondeu a 20% das exportações nacionais em 2014, quando empregava 301.964 trabalhadores, grande parte em empresas de extração de carvão e minerais não metálicos (47,5%)¹. Considerada uma das atividades econômicas mais perigosas, pode afetar o meio ambiente ao causar desmatamento, erosão, contaminação de aquíferos por produtos químicos, além do que a sua grande produção de resíduos requer cuidados especiais para o descarte ou reaproveitamento. Trabalhadores da mineração convivem com fatores de risco para agravos à saúde relacionados ao trabalho como as poeiras que causam doenças respiratórias, substâncias químicas associadas ao câncer e, em especial condições propícias para acidentes de trabalho, comumente graves e fatais. O Ministério do Trabalho e Emprego classifica essas atividades extrativas como de maior risco (grau 4) e estabeleceu normas e recomendações específicas para a proteção dos trabalhadores (NR-22). Este artigo busca demonstrar, através de dados, que essas condições  não estaão sendo rigorosamente cumpridas. 

Referência bibliográfica: 

SANTANA, Vilma et al. Morbimortalidade por acidentes de trabalho entre trabalhadores da mineração - Brasil, 2007-2015. Boletim epidemiológico, Bahia, n. 11, ano VII, maio. 2017.